ESTUDOS BIBLICOS







Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas



quinta-feira, outubro 31, 2013

Até Alcançarmos A Estatura Espiritual De Cristo

Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,
Efésios 4:13


Na narrativa de Gênesis, o senhor decidiu fazer criaturas “parecidas com Deus” (1:27). Não se chegou ainda a uma interpretação unânime sobre a afirmação “imagem e semelhança”. Na Carta aos Efésios porém, o Senhor usa a pena de Paulo para nos revelar o que vai ser o limite final da nossa semelhança com o Divino: “Desse modo todos nós chegaremos a ser um na nossa fé e no nosso conhecimento do Filho de Deus. E assim seremos pessoas maduras e alcançaremos a altura espiritual de Cristo” (Efésios 4:13).

A Trindade, quando criou os humanos, decidiu fazê-los diferentes dos anjos. Os anjos são serviçais do Senhor. Os anjos são espírito, sem corpo – mas não são “à imagem e semelhança de Deus”. O padrão para a formação dos seres humanos foi a figura de “filhos adotivos”, semelhante ao modelo “Filho Unigênito”, segunda Pessoa da Trindade. Semelhante, entretanto, não é o mesmo que idêntico. O Cristo é o único Filho, em nível de Divindade – nós, cristãos, somos filhos “adotados”, em função do amor do Filho Único e da nossa aceitação Dele como Senhor.

Efésios 1:5 nos afirma que “Deus havia resolvido que nos tornaria Seus filhos, por meio de Jesus Cristo, pois este era o Seu prazer e a Sua vontade. “Pouco antes, Paulo nos revela que a decisão cósmica da nossa adoção aconteceu “antes da criação do mundo”, antes da narrativa do Livro de Gênesis. A maravilha de tudo isso é que, tendo começado pela fé, nosso status de filhos vai experimentando crescimento “de fé em fé”, até nossa ida para a dimensão da eternidade: “e assim seremos pessoas maduras e alcançaremos a altura espiritual de Cristo”. Só nos resta “acabar a carreira e conservar a fé” (II Timóteo 4:7). Maranata!

 Pr. Olavo Feijó

quarta-feira, outubro 23, 2013

Confiando



Nessa vida vemos muitas pessoas confiando em coisas, pessoas ou nelas mesmas para viver ou fazer algo. Nós porém, servos e filhos de Deus, entendemos que sem Ele não somos nada e que precisamos dele mais do que tudo. Ele nos ensina a confiar nele.


Infelizmente muitas vezes falhamos em não confiar no Senhor e começamos a olhar para nós mesmos, tentando de alguma forma pelas nossas forças resolvermos nossos problemas. Assim pecamos por não confiar no nosso Deus.


A Palavra de Deus vai nos explicar porque não devemos confiar nos homens. Pois são falhos e pecadores assim como nós e vai dizer que é melhor confiar em Deus do que no homem.


“É melhor confiar no SENHOR do que confiar no homem.” – Salmos 118:8


Ai você para e se pergunta, então como vamos nos casar, ou ter algum relacionamento sem confiar na pessoa? Aha! Esse é o segredo, devemos confiar em Deus acima de todas as coisas e saber que ele vai colocar pessoas no nosso caminho que ele conhece muito bem. E sim, podemos confiar nas esposas, maridos, amigos, porém sem confiar acima de tudo, pois devemos sempre lembrar que eles são falhos e podem errar a qualquer momento como nós. Na expressão popular, não colocar a “mão no fogo” por ninguém.



Devemos confiar em Deus pois em primeiro lugar ele é DEUS! Ele é justo, santo, ele nos amou e quer sempre o nosso bem. Porque não confiaríamos em alguém que deu seu único filho para que pudéssemos pelo sangue desse mesmo filho sermos salvos?


E devemos sempre lembrar que Deus não é como nós : ele não mente, ele não trai, ele não falha, ele éFIÉL mesmo quando nós somos infiéis.


“se o negarmos, também ele nos negará;
Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo.” – 2 Timóteo 2:12b-13


Sendo assim, vamos colocar nossos joelhos no chão e orar a esse Deus e Senhor maravilhoso para que nos perdoe por muitas vezes não confiarmos nele e que ele nos ensine a confiar nele e no seu poder sempre, mesmo quando a situação apertar e não conseguirmos ver uma saída.


“Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará.” – Salmos 37:5

segunda-feira, outubro 14, 2013

Deus Tem Te Chamado?


Deus tem te chamado para o ministério? Embora todos os cristãos sejam chamados a servir a causa de Cristo, Deus chama certas pessoas para servir a Igreja como pastores e outros ministros. Ao escrever ao jovem Timóteo, o apóstolo Paulo confirmou que se um homem aspira ser um pastor, “excelente obra almeja.”(1 Tm 3.1) Da mesma forma, é uma grande honra ser chamado por Deus para o ministério da Igreja. Como você sabe se Deus está te chamando?

Primeiro, existe um chamado interno. Através do Seu Espírito, Deus fala àquelas pessoas que ele chamou para servir como pastores e ministros de Sua Igreja. O grande reformador Martinho Lutero descreveu esse chamado interno como a “voz de Deus ouvida pela fé.” Aqueles que Deus chamou conhecem esse chamado por um sentimento de comprometimento de liderança, de propósito e de crescimento.

Charles Spurgeon identificou o primeiro sinal do chamado de Deus ao ministério como “um desejo intenso, atraente para o trabalho”. Aqueles chamados por Deus sentem uma compulsão crescente em pregar e ensinar a Palavra, e em ministrar o povo de Deus.

Esse sentimento de compulsão deve estimular o crente a considerar se Deus o está chamando para o ministério. Deus tem te presenteado com o desejo intenso de pregar? Ele tem te equipado com os dons necessários para o ministério? Você ama a Palavra de Deus e se sente chamado a pregar? Spurgeon alertou aqueles que aspiravam seu conselho para não pregar se eles conseguissem evitar. “Mas,” Spurgeon continuou, “se ele não conseguir evitar, ele deve pregar ou morrer, então ele é o homem.” Esse sentimento de comissão urgente é uma das marcas centrais de um chamado autêntico.

Segundo , há um chamado externo. Batistas acreditam que Deus usa a congregação para “chamar o chamado” para o ministério. A congregação deve avaliar e afirmar o chamado e dons do crente que se sente chamado para o ministério. Como uma família da fé, a congregação deve reconhecer e celebrar os dons de ministério dados aos seus membros, e tomar a responsabilidade de encorajar aqueles que Deus tem chamado a responder a vocação com alegria e submissão.

Nesses dias, muitas pessoas pensam em carreiras ao invés de chamados. O desafio bíblico em “considerar o seu chamado” deve ser estendido do chamado à salvação ao chamado para o ministério.

John Newton, famoso por ter escrito “Amazing Grace,” uma vez comentou que “Ninguém exceto Ele, que fez o mundo, pode fazer um Ministro do Evangelho”. Somente Deus pode chamar um verdadeiro ministro, e somente Ele pode dar ao ministro os dons necessários para o culto. No entanto, a grande promessa da Escritura é que Deus, de fato, chama ministros, e oferece aqueles servos como presentes à Igreja.

Considere o seu chamado. Você sente que Deus está te chamando para o ministério, seja como pastor ou como outro servo da Igreja? Você queima com uma compulsão de proclamar a Palavra, compartilhar o Evangelho, e cuidar do rebanho de Deus? Esse chamado tem sido confirmado e encorajado por aqueles cristãos que melhor te conhecem?

Traduzido por: Pedro Vilela 

sexta-feira, outubro 11, 2013

O que é hipócrisia?

O que é um hipócrita?

Um hipócrita é uma pessoa que finge e exibe uma religião sem servir a Deus de coração. Mateus 23 fala do povo que limpava o exterior da taça mas deixava o interior sujo. Eles eram como sepulcros caiados, que pareciam belos e adornados, mas por dentro estavam cheios de ossos de mortos e imundície. Jesus disse, "Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas, por dentro, estais cheios de hipocrisia e iniqüidade" (Mateus 23:28). Há muitos religiosos hipócritas, homens que tentam impressionar os outros com uma fina camada externa de santidade, mas se o interior for visto, ali há pensamentos impuros e motivos impróprios. A religião hipócrita não alcança favor diante de Deus.

Por outro lado, alguns crêem que evitar a hipocrisia justifica o pecado. Eles serão abertamente irreligiosos e pecaminosos, dizendo que não são hipócritas quanto a isso, e que não vão afirmar ser o que não são. De algum modo enganam a si mesmos ao pensarem que há algum mérito especial no pecado aberto. Certamente, não se deve louvar alguém quando ele não tem bastante desejo de agradar a Deus para, pelo menos, servi-lo exteriormente. É errado ser pecador por dentro enquanto se reveste de uma aparência externa de retidão. Mas não é nada melhor deixar a demonstração e ter um exterior pecaminoso também. O homem tem que limpar o interior e o exterior, tanto um como outro.

Três homens rebelam-se contra a hipocrisia, mas diferem grandemente em suas reações.

O primeiro homem se volta para o total abandono moral. Ele se livra de todas as rédeas quando se entrega ao cumprimento de todo desejo carnal. Faz de "si mesmo" o seu deus. Ele se endurece à vista das lágrimas de sua família quando parte para fazer o que quer. Sua "justificativa" para sua conduta vergonhosa: "Pelo menos não sou hipócrita!"

O segundo homem vai a um extremo oposto. Ele está cheio das fraquezas e hipocrisia que vê em todas as igrejas, e não quer ser como tais pessoas. Ele se tornará um cristão e desde o começo "ele vai vivê-lo". Ele será um exemplo do que um cristão realmente deveria ser. Para ele, a cura para a hipocrisia é a perfeição.

O terceiro homem quer evitar a hipocrisia em sua vida, mas ao mesmo tempo, tem um profundo senso de sua própria imperfeição. Por isso ele não se dá ares de infalibilidade, mas parte para ser genuíno. Sua autenticidade logo se torna visível para os outros. Ele não declara sua perfeição, mas luta pela perfeição. Quando adora a Deus, ele não se declara ser perfeito como adorador, mas quando os cânticos começam, ele dá o seu coração ao que está fazendo; quando a oração é dirigida, ele ouve e faz dela a sua oração; durante a ceia ele medita no sofrimento de seu Senhor; e através de todo o sermão ele participa do estudo da palavra de Deus; se seu pensamento se dispersa, ele o traz de volta; e quando o período de adoração termina ele pede a Deus para perdoá-lo por seu fracasso e para aceitar sua adoração apesar de sua imperfeição.

Quando vai para o seu trabalho, ele não declara sua perfeição entre seus companheiros de trabalho, mas eles sabem que ele tentará dar oito horas de trabalho por oito horas de pagamento; que ele é confiável; que ele é puro no falar e no viver; e que se ele cair em tentação pelas pressões à sua volta para pecar, ele humildemente pedirá desculpas às pessoas ofendidas.

Ele é o mesmo no lar. Sua família respeita-o porque ele é genuíno e não declara ter força e bondade além da realidade. Sua família vê suas faltas, mas uma qualidade que lhe permite manter o respeito deles é sua capacidade de dizer, "Desculpe". Em todas as áreas de sua vida ele anda humildemente diante de Deus e de seus companheiros. Nosso terceiro homem encontrou a verdadeira cura para a hipocrisia.

O primeiro homem, se não se arrepender, um dia será um mísero infeliz, sua vida completamente destruída. O segundo homem está a caminho da desilusão. Suas metas são irreais; sua perspectiva é totalmente errada. Mas o homem que "anda humildemente com seu Deus" e é totalmente livre de malícia é verdadeiramente um homem abençoado. Ele é na vida e na atitude o que Deus deseja que ele seja, e vive na esperança do céu.

"Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus" (Mateus 5:3).

| Autor: Daniel Werneck 

quinta-feira, outubro 10, 2013

Tudo posso naquele que me fortalece




“...tudo posso naquele que me fortalece” (Filipenses 4.13).

É muito fácil entender mal um versículo assim. O lemos e imediatamente pensamos em centenas de coisas que não conseguimos fazer. No mundo físico, por exemplo, pensamos em alguma acrobacia ridícula que exigiria poderes sobre-humanos. Ou pensamos em alguma grande proeza mental que está muito além de nós. Então estas palavras se tornam uma tortura para nós, ao invés de um conforto.

O que o versículo na verdade quer dizer, claro, é que o Senhor nos dará poder para fazer qualquer coisa que Ele queira que façamos. Dentro do círculo da Sua vontade não há impossibilidades.
Pedro sabia deste segredo. Ele sabia que, por si só, não poderia andar sobre as águas. Porém, também sabia que se o Senhor lhe havia dito para fazê-lo, ele conseguiria. Assim que Jesus disse “Venha”, Pedro saiu do barco e caminhou sobre as águas até Ele.

Normalmente uma montanha não vai se lançar ao mar ao meu comando. No entanto, se esta montanha estiver entre mim e o cumprimento da vontade de Deus, então posso dizer “Saia do caminho” e ela o fará.
O ponto central é que “Sua vontade é Sua capacidade”. Portanto, Ele proverá a força para enfrentarmos qualquer desafio. Ele me capacitará para resistir a cada tentação e vencer cada hábito. Ele me fortalecerá para ter uma vida de pensamentos limpos, motivos puros e para sempre fazer aquilo que agrada ao Seu coração.

Se não tenho forças para fazer algo, se me vejo ameaçado por um colapso físico, mental ou emocional, então eu talvez deva questionar-me se por acaso entendi mal Sua vontade e estou seguindo meus próprios desejos. É possível fazer para Deus o que não é de Deus. Tais obras não carregam a promessa do Seu poder.

Por isso é importante saber que estamos seguindo a corrente do Seu plano. Então podemos ter a alegre certeza de que Sua graça irá nos sustentar e capacitar.

Luz Para o Caminho - Meditações Diárias