ESTUDOS BIBLICOS







Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas



sexta-feira, julho 02, 2010

OS DONS ESPIRITUAIS

O que é o dom? A palavra "dom" (gr. charismata) significa presente, dádiva,
donativo, privilégio adquirido por um modo sobrenatural (Pequena Enciclopédia
Bíblica).
Os dons são certas capacidades espirituais, concedidas pelo Espírito Santo,
segundo a sua escolha para serem usados no reino de Deus (Veja I Co. 12.7 e 11).
Não somos nós que escolhemos o que queremos, mas o Espírito Santo é que
distribui a cada um segundo o seu critério de escolha, para o bom funcionamento do
Corpo de Cristo.
Os dons não são concedidos para vantagem pessoal ou para considerar um
cristão mais importante do que o outro, mas para ajudar ao próximo (I Pe. 4.10) e
fortalecer espiritualmente a Igreja de Cristo (I Co. 14.12), somente assim os dons
podem ser exercidos.

COMO OS DONS SÃO ADQUIRIDOS?
􀀹 (I Co. 12.31) - Procurando com zêlo (gr. zeloute): Indica uma dedicação
ardente e cuidadosa, não para escolher o dom que deseja obter, pois esta é
uma decisão soberana do Espírito Santo que distribui os dons conforme
quer. Mas significa que deve arder em nosso coração o desejo de
edificarmos a Casa de Deus e sermos uma bênção para todos.
􀀹 (I Co. 13.1-2; 14.1) - Tendo amor. Sem o amor os dons não produzem
benefícios reais. Quando amamos o nosso próximo e nos colocamos para
servi-los, o Espírito Santo derrama dons sobre a nossa vida.
QUEM DÁ E OPERA OS DONS?
Toda a Trindade está envolvida no exercício dos dons concedidos para o
benefício da igreja.
Cristo, através da ressurreição (Ef. 4.7-8; I Co. 12.5).
Espírito Santo dá e realiza (I Co 12.4, 7 e 11).
Deus é quem opera (I Co. 12.6).
QUAIS OS TIPOS DE DONS QUE EXISTEM?
Há diversos dons, todo cristão tem um ou mais dons, que podem estar em
evidência ou não, por isso é importante cada um descobrir qual é o seu dom, para
usá-lo para o bem-estar espiritual e para o funcionamento apropriado do Corpo de
Cristo.
I CORÍNTIOS 12.8-10 ROMANOS 12.6-8 EFÉSIOS 4.11
Sabedoria
Conhecimento

Cura
Operação de milagres
Profecia
Discernimento de espíritos
Variedade de línguas
Interpretação de línguas
Profecia
Ministério
Ensino
Exortar
Contribuir
Presidir
Misericórdia
Apóstolos
Profetas
Evangelistas
Pastores
Doutores ou mestres
EXPLICAÇÃO DOS DONS (I CO. 12.8-10)
1. Palavra de Sabedoria: é uma mensagem sábia transmitida pelo Espírito
Santo, que aplica a Palavra de Deus ou a sabedoria do Espírito Santo em
uma situação ou problema específico, fazendo com que a pessoa saiba o
que fazer ou falar em determinada ocasião. Não está ligado a conhecimento,
cultura ou inteligência.
2. Palavra de Conhecimento: este dom revela o conhecimento a respeito de
pessoas, circunstâncias ou de verdades bíblicas, freqüentemente este dom
está relacionado com o da profecia.
3. Fé: se trata de uma fé sobrenatural especial, sem limites, capacitando o
cristão a crer em Deus para a realização de coisas extraordinárias e
milagrosas.
4. Dons de curar: é concedida à igreja para a restauração da saúde física por
meios divinos e sobrenaturais. Os dons de cura não são concedidos a todos
os membros do Corpo de Cristo, todavia, todos eles podem orar pelos
enfermos, havendo fé, os enfermos serão curados (Tg. 5.14-16).
5. Operações de milagres: é a capacitação sobrenatural que o Espírito Santo
concede à Igreja de Cristo para que esta realize sinais e maravilhas. É uma
intervenção divina que vai além dos limites humanos.
6. Profecia: trata-se de um dom que capacita o cristão a transmitir uma palavra
ou revelação diretamente de Deus, sob o impulso do Espírito Santo. Na
profecia manifesta-se a vontade de Deus e não a do homem, trazendo não
apenas algo sobre o futuro, mas também edificação, exortação, consolo e
advertência. Toda profecia deve ser julgada quanto à sua autenticidade e
conteúdo (I Ts. 5.20-21).
7. Discernimento de espíritos: discernir no grego é diakrisis (distinção,
discriminação clara). São capacidades sobrenaturais de se distinguir as
várias fontes das manifestações espirituais. Vivemos em um mundo hoje
onde existem imitações, enganos e falsificadores de todo o tipo. Através
desse dom podemos discernir tais coisas e ver se estas realmente procedem
de Deus. É um dom de Deus, apropriado para uma ocasião específica, sem
OS DONS ESPIRITUAIS – CRASH CHURCH UNDERGROUND MINISTRY
o qual a Igreja seria presa fácil de falsos mestres, ensinadores de heresias e
de manifestações antibíblicas.
8. Variedade de Línguas: manifestação sobrenatural do Espírito, que podem
ser humanas (At. 2.4-6) ou uma língua desconhecida da terra “línguas dos
anjos”. A língua falada através deste dom não é aprendida e quase sempre
não é entendida, tanto por quem fala como pelos ouvintes. O falar em outras
línguas como dom abrange o espírito do homem e o Espírito de Deus, que
entrando em comunhão, fazem com que o cristão tenha comunicação direta
com Deus, ele é usado como edificação individual (I Co. 14.4).
9. Interpretação de Línguas: Trata-se da capacidade concedida pelo Espírito
Santo, para o portador deste dom compreender e transmitir o significado de
uma mensagem dada em línguas. A interpretação de uma mensagem em
línguas pode ser um meio de edificação da igreja, pois toda ela recebe a
mensagem. A interpretação pode vir através de quem deu a mensagem em
línguas ou outra pessoa.
EXPLICAÇÃO DOS DONS (RM. 12.6-8)
1. Profecia: trata-se de um dom que capacita o cristão a transmitir uma palavra
ou revelação diretamente de Deus, movido pelo Espírito Santo. A profecia
manifesta a vontade de Deus e não a do homem, pode revelar algo do futuro
e tem a função de edificar, exortar, consolar e advertir. Toda profecia deve
ser julgada quanto à sua autenticidade e conteúdo (I Ts. 5.20-21).
2. Ministério: gr. diakoniai, derivado de diakonia, serviço, servir. É a
disposição, capacidade e poder dado por Deus, para alguém servir e prestar
assistência prática aos membros e líderes a fim de ajudá-los a cumprir suas
responsabilidades para com Deus.
3. Ensino: capacidade dado por Deus para o cristão examinar e estudar a
Palavra de Deus, esclarecer, expor, defender e proclamar suas verdades de
tal maneira que leve outras pessoas a crescerem.
4. Exortação: significa animar a pessoa, incitá-lo, adverti-lo, aconselhá-lo,
persuadi-lo. É aquele que proclama a Palavra de Deus de tal maneira que
atinge o coração, a consciência e a vontade de quem ouve. Estimula a fé e
produz nas pessoas uma dedicação mais profunda a Cristo e uma separação
mais completa do mundo.
5. Contribuição: é aquele que contribui livremente com seus bens pessoais,
para suprir necessidades da obra ou do povo de Deus.
6. Presidir ou liderar: é aquele que é capaz de conduzir e administrar várias
atividades da igreja, visando o bem espiritual de todos.
7. Misericórdia: aquele que ajuda a consolar os necessitados ou aflitos.
OS DONS ESPIRITUAIS – CRASH CHURCH UNDERGROUND MINISTRY
EXPLICAÇÃO DOS DONS (EF. 4.13)
1. Apóstolos: o verbo “apostello” significa enviar alguém em missão especial
como mensageiro e representante pessoal de quem o envia. O apóstolo é
função e não título. É aquele que lança alicerces, que faz a igreja restaurar
princípios, mantê-las na base correta (fundamentação), não é somente
fundar igrejas. O apóstolo traz revelação dos mistérios escondidos no
coração de Deus para cada geração (Ef. 3.5.) e implanta na Igreja de Jesus
Cristo essa revelação.
2. Profetas: é um canal de revelação de Deus para a igreja. Ajuda os cristãos a
compreenderem o que foi revelado pelo Senhor, qual a vontade de Deus
para a Igreja. Ele não é um adivinho que prevê o futuro, nem determina
passos da vida individual do cristão. O profeta deve ser movido a palavra de
sabedoria, exortação, edificação e consolação.
3. Evangelistas: prega a palavra, corrige, exorta, repreende, ele suporta
aflições (II Tm. 4.1-5). O evangelista lança a semente que faz com que a
palavra de Deus permaneça eternamente, ele fala sobre o Reino de Deus e
do poder do nome de Jesus Cristo que resulta em conversão do ímpio. Nos
dias de hoje, o evangelista atua também como missionário.
4. Pastores: o termo “pastor” é uma expressão figurativa que vem de “pastor
de ovelhas”. Sua função é apascentar o rebanho de Deus que somos nós.
Eles são homens do rebanho de Deus, tirados dentre nós, que atingiram um
caráter espiritual maduro (que chamamos qualificações), a fim de “governar”
(liderar, estar à frente, persuadir). Sendo homens de qualidade no caráter,
servem de exemplo para o rebanho. Sendo capazes de ensinar, podem
persuadir e convencer pela sabedoria de Deus.
5. Mestre: é aquele que tem capacitação para ensinar. Além do chamado
divino que é a marca do dom ministerial, deve ter conhecimento profundo da
palavra de Deus. O mestre ensina com integridade, reverência, linguagem
sadia e irrepreensível, para que o adversário seja envergonhado (Tt. 2.7-8).
O mestre, dentre todos os ministérios, é o que receberá maior juízo, ou seja,
será julgado com mais rigor do que os outros (Tg. 3.1), pois o mestre pode
moldar a mente imatura para o bem ou mal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita deixe seu comentario