ESTUDOS BIBLICOS







Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas



quinta-feira, março 17, 2011

EU SOU A RESSURREIÇÃO E A VIDA

Mateus 22:23-30



 No mesmo dia vieram alguns saduceus, que dizem não haver ressurreição, e o interrogaram, dizendo:
Mestre, Moisés disse: Se morrer alguém, não tendo filhos, seu irmão casará com a mulher dele, e suscitará descendência a seu irmão.

 Ora, havia entre nós sete irmãos: o primeiro, tendo casado, morreu: e, não tendo descendência, deixou sua mulher a seu irmão;
da mesma sorte também o segundo, o terceiro, até o sétimo.
 depois de todos, morreu também a mulher.
 Portanto, na ressurreição, de qual dos sete será ela esposa, pois todos a tiveram?
 Jesus, porém, lhes respondeu: Errais, não compreendendo as Escrituras nem o poder de Deus;
 pois na ressurreição nem se casam nem se dão em casamento; mas serão como os anjos no céu.

Leia o capítulo completo: Mateus 22


Comenta Mateus, 22:23; onde Jesus confrontou os saduceus, a respeito da vida além desse mundo. Não se pode viver sem ter uma firme convicção de que, depois da vida terrena, existe a Vida Eterna, que nos é dada de graça por Deus. Quem não crer em Jesus Cristo e na vida do lado de lá, não vencerá o pecado.

 Não são poucos os que fazem enorme confusão com a palavra “morte”. O termo é delicado e teologicamente, tanto quer dizer a morte do corpo físico, como a morte espiritual. Morrer espiritualmente, não é o mesmo que morrer carnalmente. Temos de ter cuidado, para não fazer confusão. A questão da morte é delicada, pois uma pessoa pode estar viva, andando pelas ruas, mas morta espiritualmente para Deus. E o que significa a morte espiritual? É a ausência de Cristo, da graça e da salvação que o Filho de Deus veio nos trazer. Se nós ouvimos falar de Cristo e não o recebemos como Senhor e Salvador, estamos mortos pelo pecado; a vida não pode ser abundante, plena e feliz.

 As pessoas (inclusive os crentes) não gostam muito de falar da morte. E a razão disso, é o pouco conhecimento que se tem, a respeito da vida, da vida que Jesus veio nos oferecer gratuitamente. Mas, embora o assunto seja indigesto, não podemos deixá-lo de lado, porque vamos viver um tempo de muitas mortes. No Apocalipse, ao ordenar os eventos catastróficos do fim, o profeta João diz na abertura do Quarto Selo, que a Morte e o Inferno entrariam mundo adentro. Portanto, gostando ou não, é bom ir se acostumando com desgraças de toda ordem, porque elas virão em grande número.

 E como é morrer? As Escrituras apontam para uma vida além desse mundo. É o lugar onde Jesus habita com os anjos; onde estão Abraão e Lázaro; os pais da igreja; os pais protestantes e todos os que adormeceram crentes. Há quem pense que estão dormindo, aguardando o Dia do Juízo. Mas, um exame cuidadoso das Escrituras, aponta noutra direção. Acena com uma vida de alegrias no além-túmulo. Toda vez em que era confrontado com a morte, Jesus respondia dizendo ser Ele a vida. Na ressurreição de Lázaro (João, cap. 11), o diálogo com os discípulos mostra que faziam grande confusão com a expressão “dormir”. Não se dizia que um crente havia morrido, mas que “adormecera”. A palavra “morrer” era usada nos casos em que alguém partia desse mundo, sem ter sido crente. Não havendo recebido Jesus, o destino da alma era a morte. Os que “dormiram” não estavam repousando num determinado lugar. Estavam vivos no Seio de Deus. É o que se entende na aparição de Elias e Moisés a Jesus (Mateus, 17); e também na passagem de Abraão e Lázaro (o mendigo), vistos no Seio de Deus.

 A palavra “dormir” usada pelo Rabi, era mal compreendida naqueles dias e continua sendo nos dias atuais. Ao saber que Lázaro (irmão de Marta e Maria) havia morrido, Jesus disse: “Lázaro, o nosso amigo dorme, mas vou despertá-lo do sono. Então, os discípulos disseram: Senhor, se dorme, estará salvo. Mas Jesus dizia isso de sua morte; eles, porém, cuidavam que falava do repouso do sono”. Então disse Jesus claramente: “Lázaro está morto”. O Senhor disse que Lázaro estava “adormecido” e eles entenderam que estava dormindo o sono do corpo. Teve de confirmar: “Está morto”.

 Quando Jesus chega à casa de Lázaro, encontra Marta e diz a ela que Lázaro iria ressuscitar. Mas, ela também pensava que isso aconteceria na ressurreição do último dia. E Ele responde: “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá. E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá”. “Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens”. Irmãos; é preciso crer na vida e não na morte; crer nas pastagens verdejantes e na imediata entrada do crente na vida espiritual, sem passar por nenhum estado especial. Entraremos e encontraremos pastagens; seremos recebidos pelo Senhor.

 Morte? Por que falar da uma coisa tão triste? É preciso falar sim, irmãos, para que ela seja bem compreendida. Daqui para a frente, até que Cristo volte, o mundo vai conviver com muitas mortes.
 E, quando ela bater na tua porta, na minha porta ou na porta do vizinho, nós teremos de encará-la de frente. Quem crer no Filho de Deus, passará pelo vale sombrio e encontrará a Vida Eterna. Afinal, Jesus não morreu na cruz em vão. A morte e o inferno foram vencidos pelo sangue derramado de Cristo. Onde está ó morte, o teu aguilhão? Onde está ó inferno, a tua vitória? Eu creio Senhor, hoje mesmo estarei contigo no paraíso. AMÉM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita deixe seu comentario